terça-feira, dezembro 21, 2004

OS MENINOS ANDARILHOS

Pobres meninos poetas
Cruzam-se pelos caminhos
Conhecem bem seus destinos
Em qualquer lugar forasteiros
Da palavra, prisioneiros

São eles os gatos famintos
À espreita das sobras do verbo
À espera do lume vela do verso

Pobres poetas meninos
Andarilhos da poesia
Do concreto ao abstrato
Do imaginário ao real
Precisam de alimento e luz
Para encetar travessia.

Um comentário:

Nel Meirelles disse...

caço poesia
mato versos

os que me
escapam
jazem aqui

dispersos

parabéns pelo talento e pelo blog!